Notícias



11 abril 2011

Serviços Socioassistenciais

Com o objetivo de oferecer a população mais uma alternativa para ampará-la em sua necessidade, mediando situações conflituosas, a SOS do Câncer se compromete também com o desenvolvimento pessoal e social de seus usuários. Por isso, busca parcerias, convênios, etc.

O trabalho engloba além do auxílio material; como fornecimento de fraldas e o custeio de exames de urgência, medicamentos não ofertados pelo Sistema Único de Saúde, sondas, coletores, suplementos alimentares, transportes, dentre qualquer outro recurso necessário; o apoio e a orientação dos usuários e suas famílias objetivando a sua reorganização nas dimensões estrutural, funcional e relacional, a prevenção de situações de risco e promoção dos direitos assegurados pela legislação.

O apoio e orientação a um indivíduo precisam levar em consideração sua singularidade, sua vulnerabilidade no contexto social, seus recursos culturais simbólicos, afetivos e econômicos.

É preciso pensar em estratégias que promovam a informação, orientação, reflexão, mobilização e participação dos usuários, famílias e da comunidade, estratégias estas que podem possibilitar a reorganização das relações sociais, morais e afetivas, sendo, contudo, ações destinadas a ao fortalecimento do vinculo sócioafetivo, empoderamento das funções parentais; prevenção, combate e tratamento de doenças, esclarecimentos, socialização e consequentemente, a superação das dificuldades vivenciadas e melhor qualidade de vida.

O trabalho socioassistencial da SOS do Câncer busca, no entanto, amparar a população mineira, com diversas possibilidades de mediações, proporcionado um rol de alternativas que devem minimizar os indicadores que dificultam as famílias a acessar seus direitos básicos que deveriam estar sendo invioláveis e garantidos com supremacia e igualdade.

Nesse sentido, o aparato de instrumentos e técnicas, quando articulado a um referencial teórico, garante a análise e a interpretação da realidade, bem como uma atuação coerente e comprometida para a consecução do projeto éticopolítico da profissão.

Encaminhamentos: Os encaminhamentos são efetuados quando o usuário precisa de um atendimento inexistente em nossa estrutura, tais como: atendimento odontológico, fonoaudiológico, psiquiátrico, entre outros, na intenção de complementar o serviço prestado. O encaminhamento tem a sua importância na busca pela resolução de problemas vivenciados pelos usuários

Reuniões: As reuniões contemplam desde aquelas da equipe técnica para estudo de caso ou para avaliação do trabalho realizado, articulação com a rede, até reuniões com grupos, como os de pais, mães, mulheres, terapêuticos e familiares.

Visita Domiciliar: A visita domiciliar permite um contato com usuário em seu ambiente familiar, o que permite ao Técnico, aproximar-se do vivido e do cotidiano do usuário, observando as interações familiares, a vizinhança, a rede social e os recursos institucionais mais próximos.

Entrevista: A entrevista é utilizada coma finalidade de obter dados do individuo. É mais objetiva e não há intervenções; possui somente caráter informativo para o técnico.

Estudo Social: O estudo social é utilizado pelo assistente social para orientar o seu trabalho, tanto no planejamento de intervenções como para demonstrar a situação sobre uma realidade investigada ou trabalhada, proporcionando-lhe respostas às necessidades da atuação profissional (Pizzol, 2001). Já o parecer social é parte integrante do estudo social, em que o profissional baseado nos dados coletados durante o estudo e procedendo a análise à luz de um referencial teórico, expõe sua opinião técnica de como poderá dar-se a solução da demanda que gerou tal estudo.

Escritório central:

Rua Rio de Janeiro, 1050 sala 101 - Centro

Divinópolis - MG Tel.: +55(37) 3512-4600

Telemarketing:

Rua Rio de Janeiro, 1050 sala 101 - Centro

Divinópolis - MG Tel.: +55(37) 3512-4600

Centro assistencial:

Rua Rio de Janeiro, 1050 - sala 102 - Centro

Divinópolis - MG Tel.: +55 (37) 3512-4600

TELEDOAÇÕES: (37) 3512-4600